Pop Coreano · Pop Japonês · Pop ocidental

Pacotão – Apanhado do que foi lançado nesses últimos meses pt. 1

Olá pessoas que habitam nesse estranho mundo chamado internet

Quanto tempo, não?
Acreditam que a vida adulta, nesses últimos tempos, ou sete meses, não me deixou escrever nadica de nada?
Pois é
Eu me tornei uma pessoa responsável e de respeito
E em troca perdi meu tempo livre
Odiei, onde que desinscreve?

Mas deixando minhas crises existenciais de lado
Vamos falar do que realmente importa:

Música

Park Bom – Spring

E quem diria?
A rainha de tudo, inventora da existência dos vocais, Park Bom decidiu agraciar o mundo com sua linda voz, reconquistando sua coroa como Vocal mais importante do pop coreano, sua posição nos charts e ainda por cima com o timing certinho pra ver as ações da YG despencando

Sobre a música, ela é muito bonita, e ligeiramente acima da média por se tratar de uma balda coreana (a maioria das que eu ouço penaria pra chegar a um 4), mas apesar de a voz de Bom fazê-la brilhar, ela não marcou presença na minha playlist de bad, sendo melancólica demais pra ir pra playlist de Euforia e Animação, mas esperançosa demais pra ir pra playlist pra deitar no chão e chorar
Ela é um bom exemplo de “é bonitinha e eu não pularia” mas não me emocionou o suficiente ao ouvir sem o peso de ser PARK BOM ali
É linda, mas leve demais, fica na superficie da tristeza
Felizmente o clipe está lindo ❤

Momoland – I’m So Hot

I’m So Hot traz a volta de Momoland e também o primeiro comeback a tentar uma “separação” de Bboom Bboom, com um conceito que vai mais pelo girl crush e com isso inclusive consegue deixar o rap mais (e eu disse mais que as anteriores apenas) coeso
Ela é boa pras ouvidas descompromissadas e a batida do I’m So Hot pode evntualmente ficar na sua cabeça e te importunar até nos sonhos, mas eu não acho que isso seja a grande promessa do Momoland pra 2019 e sinto que se elas não se renovarem logo vão perder todo o pouco espaço que ainda tem, porque essa música ainda se segura em tudo que Bboom Bboom e Baam usavam pra se segurar trocando a onomatopéia por um “Eu sou gostosa” mas sem trazer nenhum frescor pro som delas ou experimentar algo legal e diferente e aí, pras pessoas taxarem ela de Bboom Bboom pt3 (coisa que eu não concordo inclusive) é rapidinho
O que é uma pena, porque isso aqui é algo que eu realmente aprovei e ouviria de novo e de novo
Mas fazer o que

Jus2 – Focus on Me

Foca em mim conseguiu um feito que eu não via a muito tempo no kpop

Ela conseguiu se utilizar de uma sonoridade chill e mais soturna, sem cair numa mesmisse chata e que já vimos 20 vezes no kpop
Embora não caia no balaio de frofa sensualizante que vemos Taemin fazer, ela continua sendo 100% sensualizavel, mas de forma mais contemplativa, como se cintilasse ao invés de brilhar fortemente
E eu adoro isso, cria toda uma aura atraente e convidativa que funcionou muito bem na voz e timbres dos dois Gótisevens
Enfim, rasguei seda mesmo
Curto um BG acrtando comigo uma vez na vida e amo uma faixa sensualizante

Hwasa – Twit

Eu curti isso
Embora a música não seja a coisa piranhesca que eu esperava dela, foi um bom pro gasto™ e permaneceu na minha playlist por um tempinho até
Fora isso o MV é muito lindo com ela em vários cenários e roupas lindas e a letra tem referencias interessantes à lenda de Shim Cheong, em fim, boa não o melhor que Hwasa podia entregar, mas ainda melhor que solistas como Anda, por exemplo (pra mim)

Miso – On N On

E falando em solista, se tem algo que eu adorei esse ano de uma solista foi isso aqui
Eu não achei o refrão o exato melhor de 2019, mas a faixa é interessante o suficiente pra não se perder no monte de coisas que sairam esse ano e permanecer sendo ouvida por mim até o dia de hoje (we love a longevity queen)
Fora isso eu gosto do timbre da Miso e da forma como a voz dela soa em muitas partes dessa música, não pesando nem pro grave forçado nem pro doce demais
Perfeita e equilibrada

Gwsn – Pink Star

E falando em doce demais
Voltamos aqui com o remix de vozes docinhas de 4 Walls (pt. 1 de 3)
E gostaria de dizer que esse foi o único comebck nesses… 7 meses que me deixu realmente satisfeita
Eu gostei do MV, das vozes, da coreografia e até do rap
Enfim, gosto de sonoridades house e curto que essa música não soa diluída em água demais e ainda soa fresh e divertidinha até hoje
Nada mudador de vidas permanentemente mas aproveitável

Lee Hi feat. B.I – No One

Dong dong dugo obssô foi meio decepcionante em vários sentidos
Primeiro que eu esperava muito mais de uma música da Lee Hi
Segundo que ela tem um começo até que levemente promissor mas descamba depois e isso deixa um gosto amargo na boca no final
E terceiro, o rap do mano do Ikon acrescentou vários nadas e eu agora fico triste pelo mano e como o YG cagou pra ele assim que rolou treta
Eu só queria uma coisa gostosinha e que desse muita vontade de despirocar ao ouvir, mas essa é só… passável at best

CLC _ Me (美)

Arundaum me = tudo pra mim

Seriamente falando, fazia tempo que uma música do CLC me acertava em cheio assim
Eu curti No, mas ela não me fazia querer farofar loucamente quanto essa
E o MV também tinha todas elas impecáveis e bla bla bla *insira surto de fangirl aqui* rainhas
Eu genuinamente curti todas as partes disso, achei ela coesa? não exatamente, mas achei que funciona, e todos os drops me fazem querer descer té o chão, que é o que eu quero de um pancadão Girl Crush, então a adotei e eu vou defendê-la até a morte e nada pode me impedir

Weki Meki – Picky Pick

Não vou dizer que amei isso aqui, mas foi acima da média pro que eu esperava de Weki Mehki
Ela é divertidinha e gostosinha e o refrão fica na cabeça que nunca mais sai, benzadeus
Fora que a letra “Gosto, não gosto / Amo, não quero” é 100% relatable
Também não sei o que eu quero Weki Meki, não são só vocês

NCT 127 – Superhuman

Eu não vou me dar o trabalho de cobrir todas as 35 tentativas da SM de emplacar o NCT
Então vamos nos focar apenas nas que deram certo:
Superhuman é uma ótima faixa roubada do EXO que funciona muito bem com os vocais deles (nada me irrita mais que vocais rappers forçados e ela não tem isso) é contagiante e abre espaço pra um conceito interessante que faz sentido com o NCT
Não que eu ligue muito pro conceito deles, mas é legal e eu fico satisfeita de ouvir essa música
Embora não sei porque, sinto que ela é meio mais comprida do que deveria
Mas foi bem executado, o que compensa isso

Hyolyn – youknowbetter

Depois da coisa maravilhosa que foi Dally, eu devo admitir que fiquei com medo quando vi que a Hyolyn tinha copiado a estética indie underground sadboy™ ao escrever o nome em letras minusculas e tudo junto, parecendo uma música de Billie Eilish
Porém felizmente eu fui agraciada com um número intimista, tocante e emocionante vocalmente que Hyolyn consegue deixar bem convincente inclusive (eu não sei o que ela diz no inicio, mas ajuda no clima cru e intimista da canção)
Não vou dizer que foi minha balada favorita desse ano, mas certamente foi uma das que eu mais ouvi
Os vocais de Hyolyn imprimem dúvida, ansiedades e insegurança perfeitamente, sem você nem precisar olhar a letra e o vídeo tem uma estética que se encaixa muito bem no que ela queria passar
É um lançamento completinho e que faz o que ela queria, demonstrar profundidade como artista
Então é isso né, agora já pode voltar a lançar farofa, obrigada

Park Bom – 4:44 feat WheeIn

E voltando à rainha, mas continuando no clima de balada, quem diria que Park Bom teria um comeback tão cedo?
E pra completar, ainda temos Wheein como feat deixando tudo mais interessante
Pra ser sincera, acho que não ouvi isso muito mais que as vezes que tentei me apaixonar por ela logo que saiu ouvindo algumas vezes seguidamente
Mas ouvindo ela novamente, percebo que ela era mais interessante do que eu lembrava
Ela tem um ritmo gostoso de acompanhar, é melancpolica novamente na medida certa pra não afundar na tristeza, diria que é até mais leve que Spring, e os vocais de Wheein trazem uma cor interessante pra faixa, (apesar de eu achar que ela deveria ter tido mais tempo na música mas ok)
No fim é bom pra ouvir a voz de Park Bom novamente e pensar no quanto peso tem um comeback dela com alguém de um grupo grande da atualidade, mas ela não vai criar uma devoção profunda da minha parte e não passará de ouvida casual, infelizmente

Lovelyz – When We Were Us

E agora pra mais um grupo que eu gosto bastante
Fazia tempo que eu pensava em escutar alguma música do Lovelyz mais uma vez logo após a primeira ouvida (né Wag-Zak)
E essa ainda teve o mérito de colocar uns trechos na minha cabeça por uns dias
Porém ela certamente não me conquistou como as músicas do auge do Lovelyz que eu tanto gosto de escutar
Ela é boa, fez bem seu trabalho, eu gosto de escutá-la e ela imprime bem a sonoridade do Lovelyz mas fica aquele leve gostinho de decepção na boca, que não chega a ser amargo, mas que nos faz pensar “poderia ter sido mais marcante que isso” mas nos contentamos por não ser ruim e ter menos pra reclamar do que os comebacks passados, que já tá ótimo

Oh My Girl – The Fifth Season

E a gora pra terminar com chave de ouro a sessão capopistica de hoje, temos essa música nova maravilhosa do Oh My Girl que parece ter saído direto de um conto de fadas, ou da abertura de um shoujo, e faz com mais força o que comebacks passados do lado velvet como Secret Garden tinham feito, nos trazer essa sensação de misticismo e nostalgia deliciosos que parecem uma viagem e só um bom aegyo velvet pode nos fazer sentir
Eu honestamente quero sair pra andar dramaticamente por um park verde e aproveitar a luz dom sol e me sentir completa por uns segundos ao ouvir essa música
Ela cria uma ótima expectativa e quando chega o refrão não desaponta em nada
Basicamente, perfeita

Halsey – Without Me

Eu devo admitir, pra uma pessoa que nem é fã de Halsey, ela aparece até que bastante no meu blog, mas acho que talvez isso seja mais um sintoma de eu não ligar muito pra ninguém do pop, do que eu propriamente me interessar por ela
E falando em interesse, eu achei esse single bem fraco em comparação com coisas anteriores dela
A batida é meio genérica, liricamente não tem muito de inovador, mas o Without me e e e é chiclete o suficiente pra ter ficado na minha cabeça em algum momento, então ponto por isso, mas ela não fez muito mais que isso por mim então é Halsey, quem sabe na próxima

Katy Perry – Never Really Over

Eu tenho com Katy Perry uma relação de vai e volta que parece aqueles casais que não se decidem nunca (não citarei nomes mas vocês imaginem algum), e essa relação se resume a “ela lança coisas ruins e eu começo a ficar com raiva, aí ela lança algo legal e essa raiva se dissipa”
E depois de um difícil momento no último álbum em que eu não saía do primeiro estágio em nenhum single, felizmente temos um exemplo do segundo fenômeno
Never Really Over é uma música genérica sobre relacionamento que entrega EDM do jeitinho que eu gosto e apesar de existirem algumas partes que eu não gostei tanto (a repetição de over no refrão me irrita mas não profundamente) o produto final é muito do meu agrado
Não é nada que valha uma rasgação de seda desgraçada, mas é bom, bem feito, polido e faz bem o serviço, o que o pop pra mim não tem feito a um bom tempo
Então já tô mais que satisfeita, então Katy continue assim e não olhe para trás (e com trás eu quero dizer o Witness) que está no caminho certo

Sabrina Carpenter – Paris

Na minha pesquisa por coisas pop pra comentar eu percebi que não tinha praticamente nenhum nome que eu me importava muito, mas eu sem querer acabei achando um nome conhecido e adorando essa coisa que aparentemente saiu ANO PASSADO e eu nem vi
A música é cativante, tem uma boa batida, é sexy e tem vocais interessantes, sim, eu não me lembro de nada que eu ouvi que me contagiou tanto quanto isso
E estou muito fdeliz que minha cota ocidental tenha aberto espaço para ela
Eu realmente recomendo e acho que Sabrina fez muito bem nisso aqui

Little Mix – Bounce Back

Eu não esperava ter gostado de uma música de Little Mix, já que eu nunca me interessei muito pelo catalogo delas, mas essa música trouxe uma aura bem vintage de uns R&Bs anos 90 e como eu não resisto a uma boa sonoridade nostalgica, ela funcionou comigo
Ela iria pra minha playlist? Não, mas ela fez bem o suficiente pra se destacar entre os 35 pops americanos que eu não passei dos primeiros segundos por pura preguiça
E isso é feito enorme
Desejo sorte pra elas, porque eu não ouvi essa música antes em nenhum lugar e faz tempo que eu não via o nome delas por aí, então imagino que devem estar precisando
É isso, música legal, pouco replay factor, mas ok

Dua Lipa feat, Blackpink – Kiss and Make Up

Eu sei, essa música tem kpop como feat então só conta metade, porém eu estava precisando de fillers e ela como filler funciona muito bem
Eu gosto do som da Dua Lipa, então eu gostar disso não surpreende
Assim como a música não surpreende, mas eu ainda assim achei ela legalzinha e devo ter ouvido mais que todos os singles anteriores do Blackpink JUNTOS, então isso conta pra alguma coisa
Então vou colocar aqui apenas pra dizer que sim, eu ouvi bastante, achei bem construída, não tenho o que reclamar, só que ela é esquecível e eu só lembrava que tinha ela quando vinha no aleatório
Mas achei boa, isso eu posso garantir

Clean Bandit feat. Marina & Luis Fonsi – Baby

Existiram coisas que eu gostei mais de Marinão esse ano, porém eu ainda pretendo fazer review do álbum então preferi falar apenas dessa (inclusive ouçam esse cover maravilhoso de uma das músicas desse álbum, obrigada)
E sim, eu adorei isso
Eu sou biased por latin pop, isso todo mundo sabe
Mas juntando isso a meu biasismo pela voz de Marina e ela não ter lançado muita coisa na época que isso saiu, o terreno estava preparado para a OBSESSÃO
Então eu ouvi ela 20 mil vezes até não aguentar mais
Eu acho ela inovadora? Não
Mas acho que ela fez uma coisa farofinha latina bem legal de escutar e eu amo o violão (ou viola sei lá) que permeia a música toda, então sim eu vou defender Baby (e qualquer coisa que tiver o nome de Marina) aceitem ou surtem

Shawn Mendes feat Camila Cabello – Señorita

E continuando com tema latino
Eu nem curti tanto isso
Mas achei chiclete e relevante o suficiente pra vir aqui
Apesar de eu não ser a maior fã dos falsetes de Srta. Cabello, eu acho que a música como um todo funciona, que ela tem mais pulso que a maior parte do pop que tenho ouvido e eu fiquei com ela na cabeça esses últimos dias então achei legal citar

Haley Reinhart – Honey, There’s The Door

Eu realmente gosto da voz dessa Haley e como eu sou cadelinha de vintage, quando lembrei da existência disso, achei que seria legal de citar
A música em si entra mais em gostosinha de ouvir do que batidão de bater cabelo, mas ela tem seu valor e acho ela bem atrativa e até um pouco sedutora, tem uma coisa meio boemia sobre o jeito que ela soa, não sei se são os vocais, mas enfim
Número bom, bem executado e de alguém com elegantes vocais que não está esganiçando a voz pra provar nada pra ninguém
Eu sempre aprovo isso

Cherrsee – Lady

E pra fechar esse pacotão com a necessária cota de j-pop
Fiquemos com essa música que eu tanto adoro do grupo mais K-Pop do J-pop em que elas servem uma música animada sem cair no frenético demais e bem estilo j-pop sem soar incomoda
Apenas acertos
Gosto muito do Cherrsee, é isso

E por enquanto é só povo
Sentiram falta de alguma coisa?
Tem algum comentário, alguma indagação filosófica
Sintam-se livres pra falar sobre nos comentários

Tchau tchau e até mais o/

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s